AS CRONICAS DE KANE A PIRAMIDE VERMELHA PDF

Compartilhe seus pensamentos com outros clientes. A brilliant new adventure series from the best-selling author of Percy Jackson. Your favorite justification seemed to be on the net the easiest thing to be aware of. Posted Re 28, at I just stumbled upon your weblog and wanted to mention that I have really loved surfing around your blog posts. Withoutabox Submit to Film Festivals.

Author:Basho Zulkim
Country:Slovenia
Language:English (Spanish)
Genre:Art
Published (Last):2 February 2016
Pages:209
PDF File Size:2.75 Mb
ePub File Size:20.91 Mb
ISBN:546-3-64255-223-4
Downloads:49282
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Goltibar



Claro, vai ser tentador. Quero dizer, ele vai te conceder poder quase ilimitado. Aprenda seus segredos rapidamente e passe o pacote adiante. Desde que tinha oito anos de idade meu pai e eu viajamos pelo mundo.

Julius Kane. Meu pai estava sempre me dizendo para guardar o livro e jogar bola um pouco. Meu pai fazia da mesma forma, exceto que ele podia levar uma bolsa extra para suas ferramentas de arqueologia.

Sim — estou chegando naquela parte. Era uma tarde fria e chuvosa. Naquela tarde, ele vestia seu casaco de inverno de casimira e seu melhor terno marrom, o que ele usava para palestras. Como da vez em que homens armados invadiram nosso hotel em Cairo. Em uma outra vez, fomos parar no meio de um tumulto em Paris.

Alguns minutos depois ele me disse que era seguro para me levantar. De qualquer forma, passei a respeitar a bolsa. Era nosso amuleto da sorte. Mas como eu disse, existe esse outro lado dele. Por um segundo fiquei com medo de que ele realmente me dissesse a verdade.

Seu sobretudo e terno risca-de-giz pareciam caros. Ele poderia ser um velho amigo ou colega do meu pai. Decidi ir pelo caminho menos perigoso. Antes que eu pudesse sequer bater, Sadie abriu a porta.

Muffin nunca parecia envelhecer ou crescer. Ela tinha pelo amarelo-e-preto felpudo como uma miniatura de leopardo, olhos amarelos vigilantes.

Naquela dia eram mechas vermelhas do lado esquerdo. Ela estava mascando chiclete como sempre, vestida para passar o dia com nosso pai com jeans surrados, uma jaqueta de couro e botas de combate, como se ela estivesse indo a um show e esperasse pisotear algumas pessoas. Mas pra mim isso estava bem. Nos arrastamos escada abaixo. Eu pensava em como ela cheirava a casa de gente velha e chiclete quando ela parou abruptamente, colidi com ela.

Eu havia quase esquecido do cara de sobretudo. Sua voz era grave e constante — muito insistente. Seu sotaque era americano. Sadie, claro, me ignorou. Os cabelos da minha nuca se arrepiaram.

Nosso pai o observou ir. Finalmente, quando Amos desapareceu na esquina, meu pai relaxou. E o que foi aquilo? Ele nunca fica zangado com Sadie. Meu pai era um egiptologista. Logo depois da ponte de Waterloo meu pai ficou tenso. Senti como se o vento tivesse me congelado. Eu sabia que ela havia morrido em um acidente em Londres. O que aconteceu?

De qualquer jeito, eu sempre usei meu amuleto embaixo da minha blusa, mas imaginei que Sadie perdera o dela ou jogara fora. Para minha surpresa, ela assentiu. As figuras se dissiparam em uma indistinta imagem residual. Ele havia prometido ao taxista dez libras extras se ele nos levasse ao museu em menos de cinco minutos, e o taxista estava fazendo o seu melhor. Vou explicar tudo, prometo, depois que chegarmos ao museu. Vou fazer tudo ficar bem de novo. Era quase culpada. Eu pisquei. Por um segundo Sadie e eu hesitamos.

Pensando nisso agora, eu deveria ter corrido. Obrigada, mana. Mas obrigada. Martin, gostaria que conhecesse Carter e Sadie. Martin ficou temporariamente vazio. Eu odeio isso, mas com o passar dos anos passei a esperar que acontecesse. O curador refez seu sorriso. Por aqui, Dr. Era sinistro de noite. Estava em um pedestal, envolta por uma caixa de vidro. Posso ter o vidro removido? Martin assentiu. Martin disse. Assim que os passos do Dr. Ele pegou Sadie pelos ombros. E eu sinto muito Lembrem-se, tranquem o Dr.

Sadie olhou para mim. Ele tem a foto dela Felizmente, Sadie assentiu como se tivesse entendido. Ele me disse para nunca olhar. Meu pai havia tirado seu sobretudo. Realmente parecia um bumerangue. Mas em vez de jogar a vareta, ele tocou na Pedra da Roseta. Papai estava escrevendo na pedra.

Onde quer que o bumerangue tocasse, linhas azuis brilhantes apareciam no granito. Como ele podia escrever palavras azuis brilhantes com uma vara? Mas a imagem era clara e brilhante: chifres de carneiro acima de uma caixa e um X.

A luz azul se tornou branca, e a Pedra de Roseta explodiu. Senti como se tivesse sido atropelado por um trator. Sadie estava desmaiada ao meu lado, mas parecia ilesa. Chacoalhei seu ombro, e ela grunhiu. Um corte que sangrava atravessava seu couro cabeludo. Mas conforme eu me concentrava, ele tomou uma forma vaga — o contorno flamejante de um homem. Eu sou o mais forte. Sadie ainda estava grogue. Isso a acordou. Ela viu o que estava acontecendo e parou de lutar.

Alarmes soavam. Fogo circulava em volta das portas da galeria. Papai se agachou, mantendo os olhos no inimigo, e abriu sua caixa de madeira pintada. Sadie guinchou. Parte de mim se recusava a acreditar que tudo isso era real. Talvez eu estivesse inconsciente, tendo um pesadelo. Eu serei nomeado rei de novo. Aqueles olhos vermelhos me encararam, e eu sabia que ia morrer. Vozes estavam vociferando ordens. O ar faiscou com eletricidade.

KEB F5 INVERTER MANUAL PDF

A Pirâmide Vermelha As Crônicas De Kane - Vol 1

.

FORMULARIO GALENICO PORTUGUES PDF

Navegação de Posts

.

Related Articles